sexta-feira, 13 de junho de 2008

Caminhos para o equilíbrio (Dr. César Vasconcelos de Souza)


“No Senhor me refugio: como dizeis, pois, à minha alma: Foge, como pássaro, para o teu monte?” Salmo 11:1.

O Salmista fala de seu conflito emocional. Um “lado” de sua mente confia no Senhor, e o outro o convida a fugir para a montanha. Um diz: fica e confia. O outro diz: foge.
Não são assim nossos conflitos?
O que é conflito emocional?
É quando pensamentos e sentimentos negativos estão em nossa mente freqüentemente, ameaçando nossa segurança interna, nosso equilíbrio mental, nossa capacidade de se relacionar com as pessoas a nossa volta – como a depressão, fobia, alcoolismo, dependência química, transtorno obsessivo-compulsivo, síndrome do pânico, entre outros. Ocorre quando as perdas emocionais são muito dolorosas.
O descontrole emocional ocorre mais em pessoas bem sensíveis, que sofrem mais abalos emocionais diante de certos eventos. Vieram de famílias disfuncionais, problemáticas, onde houve abusos quando crianças:
a) Abuso físico – tapa, beliscão, puxar o cabelo, bater a cabeça dela em algum lugar. A criança sente a dor física e a vergonha dos pais. Passa a sentir que seu corpo não merece ser respeitado, que não tem o direito de se libertar de contatos dolorosos.
b) Abuso sexual – se houve contato sexual por um membro da família, é incesto; se com alguém de fora, diz-se que ela foi sexualmente molestada. Uma criança nunca é parte responsável num abuso sexual praticado nela. O adulto é que está fora do controle.
c) Abuso emocional – o mais comum. Ocorre pelo abuso verbal (gritos, sarcasmo, palavrões, ridicularização, apelidos pejorativos), abuso social (impedir a criança de ter contatos sociais: “Você não pode receber seus amigos”, “desconfie dos estranhos”, fique apenas conosco”), negligência e abandono (falta de carinho físico, de tempo dedicado à criança, de orientação, de informação sexual).
d) Abuso intelectual – ao se atacar ou ridicularizar o pensamento da criança, não permitindo pensar por si própria, não lhe dando apoio quando seu pensamento difere do dos pais. Ocorre com pais rígidos, que não deixam espaço para as idéias dos filhos.
e) Abuso espiritual – quando os pais tomam o lugar de Deus, ou são viciados em religião, exagerados em coisas religiosas, assustando as crianças por gerar nelas medo de Deus castigar, e quando há abuso físico, sexual ou emocional praticado por oficial da igreja.
Para readquirir o controle emocional é importante:
1. Cuidar do físico – exercício, alimentação, respiração, água, sol, descanso, laser, cuidar da aparência;
2. Perceber o descontrole emocional;
3. Responsabilizar-se por buscar caminhos para a cura sem ficar culpando os outros, a Deus ou a si mesmo;
4. Receber apoio emocional (Fil. 4:13 e 14 especialmente o verso 14); verbalizar seus sentimentos, preocupações e defeitos com pessoa confiável – que é a que guarda as confidências, tem consideração positiva (vê o que há de bom na pessoa), tem empatia (importa-se com o sofrimento da pessoa), não julga e não se envolve emocional e sexualmente com a pessoa;
5. Viver um dia de cada vez, recebendo a graça ou energia divina que é dada para cada dia. Ter alvos para o dia; faça uma coisa que não tenha vontade de fazer, faça crendo que Deus está no controle; leia algo proveitoso; não murmure contra ninguém; faça algo somente para você;
6. Confia no Senhor. Pense: fé não é sentimento. Os sentimentos mudam, a fé permanece.
Nossa luta não é somente uma questão relacionada com problemas psicológicos no relacionamento humano. É também entre o ser humano e as “potestades do mal nos lugares celestiais”. A guerra espiritual é real. Os inimigos espirituais procuram produzir doenças, conflitos, dor emocional em nós.
Por isso, cuidado com os sinais que o demônio envia:
a) Dentro de você: pensamentos de desânimo, desesperança, crítica, julgamento, impulsos, lembranças ou recordações;
b) Fora de você: familiar que o perturba, imagens (TV, revistas...) música.
Perdoe quem o feriu ou continua ferindo, colocando sua confiança em Deus, não na pessoa. Não se prenda a métodos humanos convencionais de busca espiritual. O Senhor mesmo o ensinará e guiará (Isaías 28:26 e 30:21), e indicará quem pode ajudá-lo humanamente, se for o caso.
Lembre-se: a cura – ou salvação – é um processo. Leva tempo. Podem ocorrer recaídas. Mas levante-se, siga a Jesus novamente. Sempre.
“A rede Globo fez uma pesquisa sobre mulheres e foi observado que:
• 74”% das mulheres tem problemas cardíacos,
• 28% das mulheres cozinheiras fumam mais,
• as idosas são as campeãs em colesterol,
• 70% das médicas são estressadas.

“A expressão que uma mulher usa em seu rosto é mais importante que as roupas que veste” (Dale Carnegle)

5 comentários:

Polonius disse...

Um dos caminhos, também, para o nosso equilíbrio é acalmar nossa mente, deixando os pensamentos mais claros através de meditação, o que irá fazer com que a nossa consciência se modifique perante a vida. Outra maneira interessante de crescer é pela escrita. Por exemplo, criar um diário para extravasar as emoções, e quando terminar estaremos mais calmos. Quando escrevemos sobre um determinado acontecimento, acabamos trazendo-o para nossa consciência, através da lembrança de cada etapa. E quando o fato chega a ser conscientizado, significa que 50% já está resolvido. Outra maneira é desabafar para outra pessoa, o que nada mais é do que repetirmos a história para nós mesmos, a fim de entendermos o que está de fato acontecendo, ou até percebermos alguma coisa relevante ou essencial que estava fora de nosso alcance.
Procurar estabelecer ligações cada vez mais fortes com as pessoas que amamos. Incentivar as pessoas e as encorajar sempre. Nós estaremos neste momento fazendo aos outros o que desejamos receber. Isto fará com que nos sintamos fortalecidos.
Existe outra consideração a ser feita, a pessoa que não acredita que merece receber amor incondicional e acha que suas necessidades não são importantes, além de se tornar cada vez mais desequilibrada emocionalmente, terá sempre a certeza que só mantém o amor em sua vida pelo sofrimento e doação constante. Irá suportar qualquer situação simplesmente para receber um pouco de amor.
Tenhamos sempre a certeza de que a pessoa mais importante neste mundo somos Nós!
Amemos, respeitemos nossas necessidades, nossos desejos e nossos sentimentos.
Aprendamos a nos conhecer, a nos curtir, a estarmos em nossa companhia!!!

davidson disse...

Excelente, tanto o artigo como o comentário do Polonius.....

Noeme Bispo disse...

Dr.César,

Obrigada pelo artigo publicado: Caminhos para o equilíbrio!
Que Deus continue abençoando sua tão amorosa e digna sua profissão. Suas incansáveis horas de dedicação, de carinho, De atenção, a cada um de seus pacientes, que trazem dentro do coração Seu nome escrito com letras douradas. Chega a ser difícil conseguir as palavras certas para traduzir o agradecimento que você merece. Querido doutor que o brilho interior que emana de ti, sua competência, sabedoria o torna um ser iluminado. Estou feliz por ter tido o privilégio de te-lo como médico e como um grande sábio. Possuis a paciência necessária, nunca desacreditando no potencial de cada ser humano. Parabéns pelas suas vitórias e conquistas realizadas! Elas são contadas pelos sorrisos nos rostos daqueles que recuperam o prazer da vida, através da sua habilidade, sabedoria de Deus que te mostra benevolente com todos nós. Que o Senhor o ilumine e continues sempre com esse exemplo de luta e coragem, digno de ser seguido. Que Deus continue abençoando seus caminhos!
Obrigada por tudo!

Noeme Bispo

Jaqueline disse...

Dr. César, onde fica seu consultório? Como faço para falar com o sr?

Tecnologia na escola disse...

Dr. César, onde fica seu consultório? Como faço para falar com o sr? O senhor é um psicanalista?

Jacimar Morais