sexta-feira, 31 de julho de 2009

Experimente Outra Vez





Quando as coisas estão erradas e o momento é de crise,
não pense que todos os esforços têm sido em vão, segue.
Talvez tudo seja para melhor.
Sorria...
E experimente outra vez.
Pode ser que o seu aparente fracasso
venha a ser a porta mágica que conduzirá
para uma nova felicidade que você jamais conheceu.
Você pode estar enfraquecido pela luta,
mas não se considere vencido.
Isso não quer dizer derrota.
Não vale a pena gastar o seu precioso tempo
em lágrimas e lamentos.
Levante-se.
Siga em frente outra vez.
E, se você guardar em mente o objetivo de suas aspirações,
os seus sonhos se realizarão.
Tire proveito dos seus erros.
Colha experiência de suas dores.
E então, um dia você dirá:
Graças a Deus.

"Eu ousei experimentar outra vez e reencontrei a paz, o amor e a felicidade."



Beijinhos no coração...

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Não estrague o seu dia

A sua irritação não solucionará problema algum.
As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas.
Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
O seu mau humor não modifica a vida.
A sua dor não impedirá que o Sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus.
A sua tristeza não iluminará os caminhos.
O seu desânimo não edificará a ninguém.
As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade.
As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você.
Não estrague o seu dia.
Aprenda, com a Sabedoria Divina, a desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre para o Infinito Bem.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Nadar contra a corrente


Quando a palavra é desistir até as mais lindas e formosas rosas choram.

Desistir significa reconhecer abertamente a derrota, o erro, o passo mal escolhido e enfrentar a própria imagem diante do espelho sem sentir dó de si mesmo, e se perguntar onde encontrar a força e coragem para encarar o mundo.

Já que não somos sós, que reconhecidamente não somos uma ilha e menos ainda deserta, toda decisão que tomamos influencia nosso meio, muda vidas, gera opiniões.

Coisas que nos alegram podem fazer sofrer ou alegrar outras pessoas, coisas que nos deixam tristes trazem em torno de nós um clima sombrio e o sentimento de impotência naqueles que nos amam.

Então, desistir não é uma fácil decisão e se muitos o fazem sem grandes resistências, outros lutam interiormente até que as próprias forças, elas mesmas, estejam fatigadas.

O processo é geralmente longo e tudo é pesado e pego em consideração: a imagem-própria, o olhar dos outros, o exemplo para aqueles que esperam de nós bem mais que pessoas que não conseguiram ir adiante.

Nos sabemos humanos, mas preferíamos que certas palavras não constassem no nosso dicionário.
Mas não adianta dar voltas para no fim chegar ao mesmo lugar.

É sabido que toda decisão comporta riscos.
Nós é quem preferimos ignorar os eventuais danos.
Só que isso faz parte da história de todo homem.

Ninguém precisa se sentir diminuído porque errou numa decisão ou porque bate a cabeça e continua a fazer algo que ele sabe que não chegará a nada a não ser perda de tempo e desgaste.

Nadar contra a corrente é extremamente desgastante e inútil.
A vida nos ensina que ter maturidade é aprender a olhar as outras pessoas nos olhos se nos sentimos fortes ou se nos reconhecemos frágeis e guardar a cabeça erguida o que quer que aconteça.

Desistir de um caminho, um sonho, uma decisão não quer dizer baixar os braços e esperar que a vida aconteça.
Não!!!

Desistir de um caminho significa que nos enganamos de endereço e que vamos procurar o bom, que vamos tormar outra direção, com aquilo que possa preencher nossas buscas, completar nosso coração.

Se devemos alguma coisa a alguém não são satisfações do que fazemos ou deixamos de fazer, mas a felicidade que podemos espalhar à nossa volta.

Se devemos alguma coisa a nós mesmos é o respeito pelo nosso eu e isso inclui o saber onde parar e onde continuar, quando voltar atrás se possível e preciso e quando recomeçar um novo caminho.

Deus não quer pessoas infelizes e insatisfeitas, mas alegres e seguras de si, que sabem o que querem e escolhem conscientemente os seus passos.

Que voltam atrás se necessário e recomeçam como se a dor não dilacerasse tanto o peito.
Ele as acolhe em Seus braços quando as mais cruéis dúvidas aparecem, as reconfortam e as asseguram que elas fazem parte de um todo e que de toda planta podada nasce um belo renovo.

Texto:Letícia Thompson.


segunda-feira, 27 de julho de 2009

domingo, 26 de julho de 2009

MESQUINHARIA ESPIRITUAL.


Para Refletir...

Conta-se a história de duas notas de dinheiro, já velhas,
que retornaram à tesouraria dos Estados Unidos. Uma delas
era de 20 dólares e a outra de 1 dólar.
Estavam no mesmo
saco e começaram a conversar.
"Eu passei por belas lojas,
excelentes restaurantes, clubes campestres e lugares
exóticos", disse a nota de 20 dólares.
"E você?" perguntou a
mesma nota.
"O único lugar por onde passei foi a igreja."

Muitos de nós fazemos o mesmo. Valorizamos tudo o que o
mundo oferece: carros novos, casas luxuosas, roupas
elegantes, passeios ao exterior e outras coisas mais.
Sonhamos com a possibilidade de ter tudo isso e invejamos
aqueles que já alcançaram a sua "felicidade". Murmuramos com
Deus por não nos abençoar da mesma forma e lamentamos o fato
de vivermos uma vida pobre e sem atrativos. Queremos receber
o melhor mas, nem passa por nossa cabeça, dar o nosso
melhor.

Damos a Deus a nota mais amassada que encontramos no bolso
ou na bolsa. Damos a Ele o resto de nosso tempo e de nossa
motivação. Damos a Ele o muito de nossa incredulidade e bem
pouco de nossa fé. Reservamos para Ele as queixas e
lamentações e doamos o nosso canto para coisas e lugares
supérfluos e sem nenhuma importância.

Chamamos Deus de injusto e esquecemos de nossa indiferença,
de nossa má vontade, de nossa ingratidão. Se fôssemos parar
um pouco para ver o quanto Deus já nos deu, apesar de nossa
"mesquinharia" espiritual, veríamos que somos as mais ricas
das criaturas, as mais contempladas da terra, as que têm
todos os motivos para viver cantando e dançando por tantas
bênçãos recebidas.

Você dá a Deus o que tem de melhor ou apenas aquilo que não
usa em suas prioridades?

sexta-feira, 24 de julho de 2009


Felicidade é discreta, silenciosa e
frágil, como a bolha de sabão. Vai-se
muito rápido, mas sempre se podem
assoprar outras.

Quem é rico em sonhos não envelhece
nunca. Pode até ser que morra de
repente. Mas morrerá em pleno vôo.
O que é muito bonito.

Eternidade é o tempo quando o longe fica perto. Não quero nem subir para os céus, nem progredir para frente.
Quero mesmo é voltar para os lugares e os tempos que amei e perdi. A alma é o lugar da saudade. Velhice é quando o rio se prepara para converter-se em mar.

Para tudo há um tempo. Mas Deus colocou o coração do homem para além do tempo, na eternidade.

Seremos sábios quando nos tornarmos crianças: essa é a essência da sabedoria bíblica.

Deus é alegria.
Uma criança é alegria.
Deus e uma criança têm isso em comum: ambos sabem que o universo
é uma caixa de brinquedos.
Deus vê o mundo com olhos de criança. Está sempre à procura de companheiros para brincar.

Eu poderia ter sido jardineiro...
Como não fui, tento fazer jardinagem como educador, ensinando às
crianças, minhas amigas, o encanto
pela natureza. O jardim é a face divina da nostalgia que mora em nós.
Jardins bonitos há muitos, mas só traz alegria o jardim que nascer dentro da gente.

Otimismo é quando, sendo primavera do lado de fora,nasce a primavera do lado de dentro.

Esperança é quando, sendo inverno do lado de fora, a despeito dele brilha o Sol de verão no lado de dentro.

Já tive medo da morte.
Hoje não tenho mais. O que sinto é uma enorme tristeza.

A vida é tão boa! Não quero ir embora...

A vida, para ser bela, deve estar cercada de verdade, de bondade, de liberdade.
Essas são as coisas pelas quais
vale a pena morrer.
Citações da Obra
“O Melhor de Rubem Alves”

quarta-feira, 22 de julho de 2009

A paz interior.



Aconteça o que acontecer na sua vida, não perca a sua paz interior, ela é a força que você precisa para manter-se em equilíbrio mesmo durante as piores tempestades.

Nessa época de pessoas atormentadas por pesadelos, por frustrações e sonhos desfeitos, manter a paz é fundamental para não cair nas armadilhas da depressão.
A carga de informação que você recebe durante o seu dia, a pressão do trabalho, dos estudos e dos relacionamentos, acaba deixando seus nervos em pedacinhos.

Se você não estiver com o pensamento voltado para o seu bem estar, você não consegue manter o equilíbrio e ai, o seu fígado começa a sofrer as primeiras conseqüências, daí para as doenças do estômago como a gastrite, a úlcera e outros nomes não muito recomendáveis, é um passo.

É preciso que você coloque filtros em sua vida, e ao receber as notícias, sejam elas quais forem, analisar e rapidamente descartar o que não for realmente importante para sua caminhada.

Manter-se em paz é um exercício diário, porque muitos obstáculos estarão presentes no seu dia a dia, a começar pelo seu lar, onde sob o mesmo teto reúnem-se pessoas que não compartilham as mesmas idéias que você.

No trabalho outros problemas nos aguardam.

Manter o emprego esta cada vez mais difícil, devido a enorme competição imposta pelas empresas entre os funcionários, tornando o clima às vezes "infernal e insuportável".

Para complicar tem o seu relacionamento que anda às vezes tão complicado por coisas tão bobas, que você fica pensando, será que vale a pena?

E quando você está a sós, fica imaginando que não nasceu para amar e ser amado, que os anjos te esqueceram e outras besteiras que a solidão causa.

Tudo isso e mais aqueles amigos que acreditam que você é poderoso e usam seu ombro como se fosse um grande muro das lamentações e deixam você mais carregado de energias nada boas.

Cuide-se enquanto é tempo.

Para que sua paz continue, use estas regrinhas básicas:
- Use o bom senso ao ler as notícias.
- Pare de ir no embalo dos alarmistas de plantão.
- Ao entrar no local de trabalho, faça uma prece em silêncio e cumprimente a todos com alegria.
- Respeite-se, se não estiver com vontade de falar com ninguém, retire-se e pare de fingir que está tudo bem.
- Peça ajuda. Para ajudar alguém precisamos estar muito bem. Se você não estiver bem, esqueça, você vai prejudicar a você e a quem pediu ajuda. A paz é uma conquista daqueles que se amam.
- Ame-se pelo amor de você mesmo! Ninguém tem o direito de invadir a sua paz e se o estão fazendo é porque você está permitindo.
- Reveja seus atos. Para manter a sua paz vale tudo: banhos relaxantes, orações, terapias, e muito amor.
A paz é um exercício diário.
- Sorria mais, relaxe, busque um cantinho dentro de você para ser feliz.
Você é responsável pelo seu bem estar.

Estando feliz, o outro seguirá o seu exemplo.
- Acredite em você.
- Valorize-se.
Você merece muito mais do que tem hoje, e vai conquistar se mantiver seu pensamento voltado para suas conquistas, sonhos e desejos.
Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito.
Um se chama ontem e outro amanhã.
Portanto, hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer, e principalmente viver.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Viver despenteada...


Hoje aprendi que é preciso deixar que a vida te despenteie,
por isso decidi aproveitar a vida com mais intensidade…
O mundo é louco, definitivamente louco…
O que é gostoso, engorda.

O que é lindo, custa caro.
O sol que ilumina o teu rosto enruga.
E o que é realmente bom dessa vida, despenteia…
- Fazer amor, despenteia.
- Rir às gargalhadas, despenteia.
- Viajar, voar, correr, entrar no mar, despenteia.
- Tirar a roupa, despenteia.
- Beijar à pessoa amada, despenteia.
- Brincar, despenteia.
- Cantar até ficar sem ar, despenteia.
- Dançar até duvidar se foi boa idéia colocar aqueles saltos gigantes essa noite, deixa seu cabelo irreconhecível…


Então, como sempre, cada vez que nos vejamos
eu vou estar com o cabelo bagunçado…
mas pode ter certeza que estarei passando pelo momento mais feliz da minha vida.
É a lei da vida: sempre vai estar mais despenteada a mulher que decide ir no primeiro carrinho da montanha russa, que aquela que decide não subir.

Pode ser que me sinta tentada a ser uma mulher impecável,
toda arrumada por dentro e por fora.
O aviso de páginas amarelas deste mundo exige boa presença:
Arrume o cabelo, coloque, tire, compre, corra, emagreça,
coma coisas saudáveis, caminhe direito, fique séria…
e talvez deveria seguir as instruções, mas
quando vão me dar a ordem de ser feliz?
Por acaso não se dão conta que para ficar bonita
eu tenho que me sentir bonita…!
A pessoa mais bonita que posso ser!
O único, o que realmente importa é que ao me olhar no espelho, veja a mulher que devo ser.
Por isso, minha recomendação a todas as mulheres:
Entregue-se, Coma coisas gostosas, Beije, Abrace,
dance, apaixone-se, relaxe, Viaje, pule, durma tarde, acorde
cedo, Corra, Voe, Cante, arrume-se para ficar linda, arrume-se
para ficar confortável!
Admire a paisagem, aproveite,
e acima de tudo, deixa a vida te despentear!!!!

O pior que pode passar é que, rindo frente ao espelho, você precise se pentear de novo...


segunda-feira, 20 de julho de 2009

domingo, 19 de julho de 2009

Como a saudades nos chama


Se eu pudesse deixar algum presente a você...
Deixaria o sentimento de amar a vida dos seres humanos.
A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora.
Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.
Deixaria a capacidade de escolher novos rumos.
Deixaria para você se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável:
Além do pão, o trabalho.
Além do trabalho, a ação.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo
A resposta e a força para encontrar a saída.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Lindíssima história de amor!


Eu retornava para casa, em um dia muito frio, quando tropecei em uma carteira.
Procurei por algum meio de identificar o dono, mas a carteira só continha três dólares e uma carta amassada, que parecia ter ficado ali por muitos anos.

No envelope, muito sujo, a única coisa legível era o endereço do remetente.
Comecei a ler a carta tentando achar alguma dica. Então eu vi o cabeçalho.
A carta tinha sido escrita a quase sessenta anos atrás.

Tinha sido escrita com uma bonita letra feminina em azul claro sobre um papel de carta com uma flor ao canto esquerdo.
A carta dizia que sua mãe a havia proibido de se encontrar com Michael, mas ela escrevia a carta para dizer que sempre o amaria.
Assinado Hannah.

Era uma carta bonita, mas não havia de nenhum modo, com exceção do nome Michael, de identificar o dono.
Entrei em contato com a companhia telefônica, expliquei o problema ao operador e lhe pedi o número do telefone no endereço que havia no envelope.

O operador disse que havia um telefone mas não poderia me dar o número.
Por sua própria sugestão, entrou em contato com o número, explicou a situação e fez uma conexão daquele telefone comigo.

Eu perguntei à senhora do outro lado, se ela conhecia alguém chamada Hannah.
Ela ofegou e respondeu:
- "Oh! Nós compramos esta casa de uma família que tinha uma filha chamada Hannah.
Mas isto foi há 30 anos!"
- "E você saberia me dizer onde aquela família poderia ser localizada agora?" Eu perguntei.

- "Do que me lembro, aquela Hannah teve que colocar sua mãe em um asilo alguns anos atrás", disse a mulher.
"Talvez se você entrar em contato eles possam informar".

Ela me deu o nome do asilo e eu liguei.
Eles me contaram que a velha senhora tinha falecido alguns anos atrás mas eles tinham um número de telefone onde acreditavam que a filha poderia estar vivendo.

Eu lhes agradeci e telefonei.
A mulher que respondeu explicou que aquela Hannah estava morando agora em um asilo.

A coisa toda começa a parecer estúpida, pensei comigo mesmo.
Para que estava fazendo aquele movimento todo só para achar o dono de uma carteira que tinha apenas três dólares e uma carta com quase 60 anos?

Apesar disto, liguei para o asilo no qual era suposto que Hannah estivesse vivendo e o homem que atendeu me falou, "Sim, a Hannah está morando conosco."

Embora já passasse das 10 da noite, eu perguntei se poderia ir para vê-la.
- "Bem", ele disse hesitante, "se você quiser se arriscar, ela poderá estar na sala assistindo a televisão".

Eu agradeci e corri para o asilo.
A enfermeira noturna e um guarda me cumprimentaram à porta.
Fomos até o terceiro andar.
Na sala, a enfermeira me apresentou a Hannah.
Era uma doçura, cabelo prateado com um sorriso calmo e um brilho no olhar.

Lhe falei sobre a carteira e mostrei a carta.
Assim que viu o papel da carta com aquela pequena flor à esquerda, ela respirou fundo e disse, - "Esta carta foi o último contato que tive com Michael".

Ela pausou um momento em pensamento
e então disse suavemente: - "Eu o amei muito.
Mas na ocasião eu tinha 16 anos e minha mãe achava que eu era muito jovem. Oh, ele era tão bonito!.
Ele se parecia com Sean Connery, o ator".

- "Sim," ela continuou. "Michael Goldstein era uma pessoa maravilhosa.
Se você o achar, lhe fale que eu penso freqüentemente nele.
E"... ela hesitou por um momento, e quase mordendo o lábio, "lhe fale que eu ainda o amo.
Você sabe", ela disse com lágrimas que começaram a rolar em seus olhos, "eu nunca me casei.
Eu jamais encontrei alguém que correspondesse ao Michael..."

Eu agradeci a Hannah e disse adeus.
Quando passava pela porta da saída, o guarda perguntou, - "A velha senhora pode lhe ajudar? "
- "Pelo menos agora eu tenho um sobrenome.
Mas eu acho que vou deixar isto para depois.
Eu passei quase o dia inteiro tentando achar o dono desta carteira".

Quando o guarda viu a carteira, ele disse:
- "Ei, espere um minuto! Isto é a carteira do Sr. Goldstein.
Eu a reconheceria em qualquer lugar.
Ele está sempre perdendo a carteira.
Eu devo tê-la achado pelos corredores ao menos três vezes".

- "Quem é o Sr. Goldstein?" Eu perguntei com minha mão começando a tremer.
- "Ele é um dos idosos do 8º andar.
Isso é a carteira de Mike Goldstein sem dúvida.
Ele deve ter perdido em um de seus passeios".

Agradeci o guarda e corri ao escritório da enfermeira.
Lhe falei sobre o que o guarda tinha dito.
Nós voltamos para o elevador e subimos.

No oitavo andar, a enfermeira disse,
- "Acho que ele ainda está acordado.
Ele gosta de ler à noite. Ele é um homem bem velho."

Fomos até o único quarto que ainda tinha luz e havia um homem lendo um livro.
A enfermeira foi até ele e perguntou se ele tinha perdido a carteira.
Sr. Goldstein olhou com surpresa, pondo a mão no bolso de trás e disse, - "Oh, sim!"

- "Este amável cavalheiro achou uma carteira e nós queremos saber se é sua?"

Entreguei a carteira ao Sr. Goldstein,
ele sorriu com alívio e disse:
- "Sim, é minha! Devo ter derrubado hoje a tarde.
Eu quero lhe dar uma recompensa".
- "Não, obrigado", eu disse.
"Mas eu tenho que lhe contar algo.
Eu li a carta na esperança de descobrir o dono da carteira".

O sorriso em seu rosto desapareceu de repente.
- "Você leu a carta?"
"Não só li, como eu acho que sei onde a Hannah está".

Ele ficou pálido de repente.
- "Hannah? Você sabe onde ela está? Como ela está?
É ainda tão bonita quanto era? Por favor,
por favor me fale", ele implorou.

- "Ela está bem...
E bonita da mesma maneira como quando
você a conheceu". Eu disse suavemente.
O homem sorriu e perguntou,
- "Você pode me falar onde ela está?
Ele agarrou minha mão e disse,
- "Eu estava tão apaixonado por aquela menina que quando aquela carta chegou, minha vida literalmente terminou.
Eu nunca me casei.
Eu sempre a amei."

- "Sr. Goldstein", eu disse, "Venha comigo".

Fomos de elevador até o terceiro andar.
Atravessamos o corredor até a sala onde Hannah estava assistindo televisão.
A enfermeira caminhou até ela:
- "Hannah, " ela disse suavemente, enquanto apontava para Michael que estava esperando comigo na entrada.

- "Você conhece este homem?"

Ela ajeitou os óculos, olhou um momento...e não disse uma palavra...

Michael disse suavemente, quase em um sussurro,
- "Hannah!!!
- "Michael! Eu não acredito nisto!Michael! É você! Meu Michael!"

Ele caminhou lentamente até ela e se abraçaram.
A enfermeira e eu partimos com lágrimas
rolando em nossas faces.

- "Veja", eu disse.
Veja como o bom Deus trabalha!

Aproximadamente três semanas depois eu recebi uma chamada do asilo em meu escritório.
-"Você pode vir no domingo para assistir a um casamento?
O Michael e Hannah vão se casar"!

Foi um casamento bonito, com todas as pessoas do asilo devidamente vestidos para a celebração.
Hannah usou um vestido bege claro e bonito.
Michael usou um terno azul escuro.
O hospital lhes deu o próprio quarto e
se você sempre quis ver uma noiva com 76 anos e um noivo com 79 anos agindo como dois adolescentes, você tinha que ver este par.

Um final perfeito para um caso de amor
que tinha durado quase 60 anos.

Nunca é tarde para o amor... aprenda isso.!

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Façamos algo novo!!!!! Que tal virar a página??!!!!



'Talvez você precise "virar a página"! ', diz Padre Fábio

Quanto sofrimento se estende em nossas vidas porque não sabemos pôr um ponto final nas coisas? Temos que ter a coragem de pôr este ponto final em muitas coisas em nossas vidas. Por exemplo: nos vícios. Conheci um rapaz que com 38 anos estava morrendo de câncer por que não soube pôr um ponto final em seu vicio. Deixou seus filhos e esposa, pois fumou desde os 12 anos.

Padre Léo uma vez me dizia: "Meu filho, eu nunca pedi a Deus que me curasse do meu câncer, por que seria muito injusto eu plantar limão e querer colher outra coisa. Eu fumei a vida inteira. Então, eu peço a Ele que me ensine a morrer do jeito certo". Se eu não faço minha parte, eu me pergunto: será que é honesto eu pedir que Deus faça a parte Dele, se eu não faço a minha? Ele já fez a parte Dele nos dando a vida, precisamos fazer a nossa parte!

Há enfermidades que não buscamos, mas há tantas outras que a gente procura, que a gente busca. Como terei saúde boa se não tiver uma boa alimentação? Como é que terei saúde espiritual se eu não busco coisas boas? Um dia eu aprendi muitas lições na escola, mas hoje vejo que tudo aquilo que aprendi também é Evangelho. Deus pode, e eu tenho que poder com Ele, tome uma atitude a partir de hoje.

Deus é dinâmico e precisamos ser também. Olha quanta coisa perdemos na nossa vida por que somos lerdos. Se nós entrarmos no dinamismo da graça, ninguém nos segura! Vá à mesma velocidade que Deus está! Ele não perde tempo, Ele ama a toda hora. Se você tem que perdoar, perdoe hoje! Tenha pressa de ser feliz, pois não sabemos quanto tempo nos resta. Tenha pressa de se reconciliar com as pessoas que você ama, tenha pressa em fazer uma atividade física, tenha pressa em amar, tenha pressa em querer a vida, pois não sabemos quanto tempo ainda temos.

Onde será o ponto final, a vírgula, o ponto de interrogação ou de exclamação que você deve colocar em sua vida? Talvez você precise "virar a página"! Deixe que Deus fale ao seu coração, para que você saiba o que realmente deve fazer em sua vida.

Padre Fábio de Melo.

terça-feira, 14 de julho de 2009

A CONSCIÊNCIA DE SUA MISSÃO...

Frequentemente, eu me pergunto:
"O que cada um de nós está fazendo neste planeta?"
Se a vida for somente tentar aproveitar o máximo possível as horas e os minutos, esse filme é bobo. Tenho certeza de que existe um sentido melhor em tudo o que vivemos.
Para mim, nossa vinda ao planeta Terra tem, basicamente, dois motivos:
evoluir espiritualmente e aprender a amar melhor.
Todos os nossos bens, na verdade, não são nossos.
Somos apenas as nossas almas.
E devemos aproveitar todas as oportunidades que a
vida nos dá para nos aprimorarmos como pessoas.
Portanto, lembre-se sempre que os seus fracassos são sempre os melhores professores e que é nos momentos difíceis que as pessoas precisam encontrar uma razão maior para continuar em frente. As nossas ações, especialmente quando temos de nos superar, fazem de nós pessoas melhores.
A nossa capacidade de resistir às tentações, aos desânimos, para continuar o caminho, é que nos torna pessoas especiais.
Ninguém veio a essa vida com a missão de juntar dinheiro e comer do bom e do melhor.
Ganhar dinheiro e alimentar-se bem fazem parte da vida, mas, não podem ser a razão de viver.
Tenho certeza de que pessoas como Martin Luther King, Mahatma Ghandi, Nelson Mandela, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce, Betinho e tantas outras anônimas, que lutaram e lutam para melhorar a vida dos mais fracos e dos mais pobres, não estavam motivadas pela idéia de ganhar dinheiro.
O que move, então, essas pessoas generosas a trabalhar diariamente, sem jamais desistir?
A resposta é uma só:
A consciência de sua missão nesta vida.
Quando você tem a consciência de que, através do seu trabalho, está realizando sua missão, você desenvolve uma força extra, capaz de levá-lo ao cume da montanha mais alta do planeta.
Infelizmente, muita gente se perde nesta viagem e distorce o sentido de sua existência, pensando que acumular bens materiais é o objetivo da vida.
E quando chega no final do caminho percebe que o caixão não tem gavetas e que só vai poder levar daqui o bem que fez às pessoas.
Se você tem estado angustiado sem motivo aparente,
está aí um aviso para parar e refletir sobre o seu estilo de vida.
Escute a sua alma:
ela tem a orientação sobre qual caminho seguir.
Tudo na vida é um convite para o avanço e a conquista de valores,
na harmonia e na glória do bem.

(Roberto Shinyashiki)

domingo, 12 de julho de 2009

quinta-feira, 9 de julho de 2009

A necessidade do esforço


“Conta-se que, no princípio da vida, o alimento das criaturas era encontrado como oferta da Divina Providência, em toda parte.
Em troca de tanta bondade, o Pai Celeste rogava aos corações mais esforço no aperfeiçoamento da vida.
O povo, no entanto, observando que tudo lhe vinha de graça, começou a menosprezar o serviço.
O mato inútil cresceu tanto, que invadia as casas, onde toda a gente se punha a comer e dormir.
Ninguém desejava aprender a ler.
A ferrugem, o lixo e o mofo apareciam em todos os lugares.
Animais, como os cães que colaboram na vigilância, e aves, como os urubus que auxiliam nas obras de limpeza, eram mais prestativos que os homens.
Vendo que ninguém queria corresponder à confiança divina, o Pai Celestial mandou retirar as facilidades existentes, determinando que os habitantes da Terra se esforçassem na conquista da própria manutenção.
Desde esse tempo, o ar e a água, o Sol e as flores, a claridade das estrelas e o luar continuaram gratuitos para o povo, mas o trabalho forçado da alimentação passou a vigorar como sendo uma lei para todos, porque, lutando para sustentar-se, o homem melhora a terra, limpa a habitação, aprende a ser sábio e garante o progresso.
Deus dá tudo.
O solo, a chuva, o calor, o vento, o adubo e a orientação constituem dádivas dEle à Terra que povoamos e que devemos aprimorar, mas o preparo do pão de cada dia, através do nosso próprio suor e da nossa própria diligência, é obrigação comum a todos nós, a fim de que não olvidemos o nosso divino dever de servir, incessantemente, em busca da Perfeição.”

terça-feira, 7 de julho de 2009

FÉ,ESPERANÇA E AMOR



Um dia, a FÉ, a ESPERANÇA e o AMOR saíram pelo mundo para
ajudar os aflitos. Quem das três, seria capaz de realizar o melhor
trabalho para a glória de Deus?
A beira da estrada da vida encontraram um homem pobre que
sofria com uma doença que o deixou paralítico desde nascença.
Mendigava às almas caridosas a fim de sobreviver.
Diante daquela situação, a FÉ tomou a frente da Esperança e do
Amor para resolver o caso. Disse:
Esperem aqui, vou realizar minha obra na vida daquele infeliz e
tirá-lo daquela situação.
A FÉ trouxe ao homem a palavra de Deus e assim ela foi
reproduzida no coração dele. Imediatamente aquele homem se
rebelou contra aquela situação e usou a FÉ que tinha no coração
para determinar sua cura e, no momento em que orava, seus
ossos e juntos tornaram-se firmes.
Finalmente ficou de pé e saltou de alegria. Não precisava ficar
mais a beira da estrada para mendigar e muito menos padecer
todas as dores de antes.
Passadas algumas horas, o homem não tinha para onde ir. Nem
casa, nem profissão, que lhe desse condições de se estabelecer
na vida.
Neste momento a ESPERANÇA sentiu que era chegada a sua vez
de trabalhar. Ela o levou para o alto da montanha e fez com que
ele visse os férteis campos da terra. Desta maneira, foi mudando
o seu coração e o homem entendeu que podia prosperar.
Movido pela força da ESPERANÇA, ele se pôs a caminho. Logo
conseguiu um emprego, em uma fazenda próxima, e rapidamente
aprendeu a cultivar a terra. Em pouco tempo, tinha juntado o
suficiente para comprar seu próprio campo.
Com FÉ e ESPERANÇA, renovava suas forças a cada dia, e em
poucos anos expandiu grandemente seus negócios. Suas colheitas
eram exportadas em navio, alcançando portos de todo o mundo.
Ele tinha muitos empregados e se tornou o homem mais rico da
terra. A FÉ e a ESPERANÇA estavam satisfeitas com o maravilhoso
trabalho que haviam produzido na vida daquele homem.
Então disseram ao Amor:
"Não te preocupes em realizar tua obra. Vês, que juntas, mudamos
completamente a vida deste homem, fazendo-o forte e próspero".
Assim, o Amor partiu em busca de alguém a quem pudesse ajudar.
O império daquele homem se expandia por todo o lado, de forma
que eram tantas as casas que muitas delas nem sequer conhecia.
Viajou o mundo inteiro e nada mais havia que o surpreendesse.
Mas com o passar do tempo o homem foi ficando triste e enfastiado.
"Tenho tudo que um homem possa desejar" dizia ele, "mas ainda me
sinto vazio".
A FÉ e a ESPERANÇA conversavam o que podiam fazer para torná-lo
forte como antes? Ele agora não precisava do milagre da cura nem
da Esperança para crer no sucesso do seu futuro, pois era muito rico.
Então as duas foram correndo em busca do AMOR para lhe pedir ajuda.
O AMOR voltou com elas e realizou sua obra no coração daquele homem.
Ao sentir AMOR, ele passou a entender Deus e a sua mais extraordinária
obra. Surgiu a necessidade de ajudar outros com os mesmos problemas
que os seus. A FÉ e a ESPERANÇA entenderam que embora suas obras
tivessem sido de grandeza extraordinária... com o passar do tempo,
sem AMOR, tudo perdia o sentido.
A FÉ é rápida... a ESPERANÇA permanece por mais tempo, mas o AMOR...
NÃO ACABA NUNCA !!!

domingo, 5 de julho de 2009


sábado, 4 de julho de 2009

DEUS NUNCA ERRA!


Um rei que não acreditava na bondade de DEUS tinha um servo que em todas as situações lhe dizia:
Meu rei, não desanime, porque tudo que Deus faz é perfeito, Ele não erra!
Um dia eles saíram para caçar e uma fera atacou o rei. O seu servo conseguiu matar o animal, mas não pôde evitar que sua majestade perdesse um dedo da mão.
Furioso e sem mostrar gratidão por ter sido salvo, o nobre disse: Deus é bom?
Se Ele fosse bom eu não teria sido atacado e perdido o meu dedo.
O servo apenas respondeu:

Meu Rei, apesar de todas essas coisas, só posso dizer-lhe que Deus é bom; e ele sabe o por que de todas as coisas O que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra!
Indignado com a resposta, o rei mandou prender o seu servo

Tempos depois, saiu para uma outra caçada e foi capturado por selvagens que faziam sacrifícios humanos.
Já no altar, prontos para sacrificar o nobre, os selvagens perceberam que a vítima não tinha um dos dedos e soltaram-no: ele não era perfeito para ser oferecido aos deuses.
Ao voltar para o palácio, mandou soltar o seu servo e recebeu -o muito afetuosamente. Meu caro, Deus foi realmente bom comigo! Escapei de ser sacrificado pelos selvagens , justamente por não ter um dedo! Mas tenho uma dúvida:
Se Deus é tão bom, por que permitiu que você, que tanto o defende, fosse preso?
Meu rei, se eu tivesse ido com o senhor nessa caçada, teria sido sacrificado em seu lugar, pois não me falta dedo algum.
Por isso, lembre-se: tudo o que Deus faz é perfeito Ele nunca erra!
Muitas vezes nos queixamos da vida e das coisas aparentemente ruins que nos acontecem, esquecendo-nos que nada é por acaso e que tudo tem um propósito. Todas as manhãs, ofereça seu dia ao Senhor Jesus, peça para Deus inspirar os seus pensamentos, guiar os seus atos, apaziguar os seus sentimentos. E nada tema, pois DEUS NUNCA ERRA!!!
Sabe porque você está lendo essa mensagem ? Eu não sei, mas Deus sabe, pois Ele nunca erra.......



Mais importante do que pedir é saber agradecer da forma correta, e tendo acima de tudo, fé, acreditando que com o passar do tempo, e com o intermédio da mão de Deus todos os seus problemas serão resolvidos.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Viver em plenitude


Eu pensei que a gente se acostumava com tudo na vida. Eu pensei que com o tempo tudo parecia normal dentro do nosso coração e nos concentraríamos em outras coisas. Mas a gente não se acostuma não...

A gente só aprende a não se surpreender. A gente aprende a resignação. Mas dentro do nosso peito aquele sentimento de incompreensão continua intacto, mesmo se aprendemos a viver e conviver com o que nos choca, nos maltrata e deixa o futuro incerto.

A violência virou pão de cada dia pra muita gente. Mas ninguém se acostuma, ninguém pode se acostumar, ninguém pode continuar vivendo como se ela não existisse, porque é uma realidade e devemos e precismos estar alertas a tudo o que nos envolve.

E a vida continua bela, apesar de tudo. Ela existe independente de toda a maldade humana e mesmo independente de toda bondade. As flores continuam nascendo em solo árido ou úmido, clima frio ou quente. Elas nascem porque é assim, porque para isso foram feitas: embelezar a terra. Como nós.

A vida não é vazia, ela é plena. Vazios muitas vezes nos sentimos nós, quando a solidão vai escurecendo todo o nosso interior e parece apagar tudo o que vivemos e os porquês da nossa existência. São esses momentos onde nos perguntamos onde ir, sem ver ao menos soluções que possam nos fazer acreditar que existe um depois, que existe um amanhã, porque os homens vão-nos roubando a esperança última.

E desaprendemos assim não a viver, mas a beber o néctar da vida e se deliciar com ele. Pessoas fecham-se em casa para sentirem-se seguras e a vida, ou o que resta dela, fica resumida a quatro paredes. A própria casa transforma-se em prisão.

Mas não podemos ficar presos às nossas emoções e às atitudes das pessoas, apenas ser cautelosos, sem que isso modifique totalmente nosso comportamento e visão da vida que, ela, corre para todos os cantos e ri e se oferece.

Precisamos abraçá-la enquanto ela nos sorri, mesmo se os homens destroem as flores. Precisamos ser, pelas nossas crianças e por nós, aqueles que vão continuar plantando porque o amanhã virá e se estivermos ainda aqui, precisamos estar preparados.

Sejamos nós aqueles que, perdendo tudo, não perdem a fé. Sejamos aqueles que não se acostumam nunca com o desamor, mas que nem por isso vão deixar de viver. Porque Deus nos deu a terra e tudo o que nela há como herança e é isso que devemos ensinar aos nossos pequenos.



Letícia Thompson

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Água e envelhecimento


Sempre que dou aula de Clínica Médica a estudantes do quarto ano de
Medicina, lanço a pergunta:
- Quais as causas que mais fazem o vovô ou a vovó terem confusão mental?
Alguns arriscam: "Tumor na cabeça:".
Eu digo: "Não"...
Outros apostam: "Mal de Alzheimer".
Respondo, novamente: "Não"...
A cada negativa a turma espanta-se. E fica ainda mais boquiaberta
quando enumero os três responsáveis mais comuns:
1. diabetes descontrolado;
2. infecção urinária;
3. desidratação.
Parece brincadeira, mas não é. Constantemente vovô e vovó, sem sentir
sede, deixam de tomar líquidos. Quando falta gente em casa para
lembrá-los, desidratam-se com rapidez. A desidratação tende a ser
grave e afeta todo o organismo. Pode causar confusão mental abrupta,
queda de pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos -
"batedeira" -, angina (dor no peito), coma e até morte.
Insisto: não é brincadeira!
Ao nascermos, 90% do nosso corpo é constituído de água.
Na adolescência, isso cai para 70%.
Na fase adulta, para 60%.
Na terceira idade, que começa aos 60 anos, temos pouco mais de 50% de água.
Isso faz parte do processo natural de envelhecimento.
Portanto, de saída, os idosos têm menor reserva hídrica. Mas há outro
complicador: mesmo desidratados, eles não sentem vontade de tomar
água, pois os seus mecanismos de equilíbrio interno não funcionam
muito bem.
Explico: nós temos sensores de água em várias partes do organismo. São
eles que verificam a adequação do nível. Quando ele cai, aciona-se
automaticamente um "alarme". Pouca água significa menor quantidade de
sangue, de oxigênio e de sais minerais em nossas artérias e veias. Por
isso, o corpo "pede" água. A informação é passada ao cérebro, a gente
sente sede e sai em busca de líquidos.
Nos idosos, porém, esses mecanismos são menos eficientes. A detecção
de falta de água corporal e a percepção da sede ficam prejudicadas.
Alguns, ainda, devido a certas doenças, como a dolorosa artrose,
evitam movimentar-se até para ir tomar água.
Conclusão: idosos desidratam-se facilmente não apenas porque possuem
reserva hídrica menor, mas também porque percebem menos a falta de
água em seu corpo. Além disso, para a desidratação ser grave, eles não
precisam de grandes perdas, como diarréias, vômitos ou exposição
intensa ao sol. Basta o dia estar quente - e o verão já vem aí - ou a
umidade do ar baixar muito - como tem sido comum nos últimos meses.
Nessas situações, perde-se mais água pela respiração e pelo suor. Se
não houver reposição adequada, é desidratação na certa. Mesmo que o
idoso seja saudável, fica prejudicado o desempenho das reações
químicas e funções de todo o seu organismo.
Por isso, aqui vão dois alertas.
O primeiro é para vovós e vovôs: tornem voluntário o hábito de beber
líquidos. Bebam toda vez que houver uma oportunidade. Por
líquido entenda-se água, sucos, chás, água-de-coco, leite. Sopa,
gelatina e frutas ricas em água, como melão, melancia, abacaxi,
laranja e tangerina, também funcionam. O importante é, a cada duas
horas, botar algum líquido para dentro. Lembrem-se disso!
Meu segundo alerta é para os familiares: ofereçam constantemente
líquidos aos idosos. Lembrem-lhes de que isso é
vital. Ao mesmo tempo, fiquem atentos. Ao perceberem que estão
rejeitando líquidos e, de um dia para o outro, ficam confusos,
irritadiços, fora do ar, atenção! É quase certo que esses sintomas
sejam decorrentes de desidratação. Líquido neles e rápido para um
serviço médico!


Arnaldo Lichtenstein (46), médico, é clínico-geral do Hospital das
Clínicas e professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da
Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).