domingo, 19 de abril de 2009

Traição



Algumas pessoas não aceitam nenhum tipo de traição e qualquer atenção dada a outra pessoa já se considera traída.
Algumas pessoas conseguem distinguir uma traição em uma balada, de uma traição mais planejada dando pontos distintos para cada uma delas.
Para outras, apenas casos extra relacionamento são imperdoáveis, mas considera normal uma pulada de cerca às vezes.
Durante muito tempo as mulheres foram muito mais submissas aos homens e dependiam da sua segurança, principalmente financeira, para viver.
Por isso faziam vista grossa para algumas situações corriqueiras.
Com o passar do tempo, as mulheres passaram a ganhar tão bem quanto homens e terem oportunidades de traição da mesma maneira.
Hoje, devido à independência de ambos os sexos, os relacionamentos podem existir com base no amor, respeito, confiança, troca, reduzindo a necessidade de traição.

Portanto, sempre tenha em mente que tipo de pessoa você é, qual o peso da traição e o que você espera de um(a) parceiro(a) e acima de tudo, deixe isso claro para ele(a).
Mas se acontecer a traição, analise os pontos abaixo antes de tomar sua decisão:

Analise o momento do relacionamento
É muito importante definir como estava o relacionamento de vocês no momento da traição:

Não Oficializado: quando duas pessoas estão saindo há algum tempo, se falam constantemente e já existem indícios de namoro, mas ainda NÃO é um namoro.
A pessoa traída tem todo o direito de ficar chateada e pensativa, mas não pode considerar uma falta de respeito.
Conversar sobre a situação, entender o porque da traição e alinhar expectativa sobre o futuro a dois é muito importante.

Vivendo uma crise: alguns momentos, principalmente em relacionamentos mais longos, um dos dois pode começar a questionar o amor, o futuro ao lado da pessoa, se está acomodado a uma situação.
Nesse caso, a parte questionadora pode conhecer alguém e testar suas dúvidas através da traição, devido ao medo de tomar uma decisão sem certeza.
A traição nesse caso já é mais profunda, se tornando um caso: mais de um encontro, conversas por e-mail, entre outros.
O resultado pode ser: o fim do namoro, porque descobre que está equivocado(a) sobre a(o) parceira(o) escolhida; ou o fim do caso e a volta para um namoro mais forte e mais certeiro.

Fim: homens tendem a ter maior dificuldade em terminar um namoro do que as mulheres.
Não conseguem descobrir que são infelizes e simplesmente seguir sua vida, preferindo esperar a chegada de outra mulher.
Por isso, essa maneira de traição é mais comum em homens.
Eles perdem o respeito e começam a paquerar outras mulheres, ter pequenos casos e sair cada vez mais com parceiras distintas.
Tudo isso para tentar ser descoberto ou mostrar distanciamento, dando à mulher a oportunidade de terminar a relação.
Por sua vez, as mulheres que não tem perfil traidor, na maioria dos casos, quando traem é porque encontraram em outro homem coisas que seu parceiro não tinha e isso com certeza será o fim.
Descubra o que aconteceu
Converse sobre o que levou seu(sua) parceiro(a) a traição.

Drogas e álcool: talvez seja necessário dar um tempo na relação, ainda mais se ele(a) não estava totalmente inconsciente no momento.

Isso significa que possui desejos de traição adormecidos.

Companhia: muitas pessoas são influenciadas pelos amigos ou rodas de colegas. Até hoje, homens que não traem são instigados e considerados menos machos se ao sair só com amigos, não paquerar outra mulher.
As mulheres são menos questionadas por isso, mas existem companhias que facilitam a traição.
Portanto, pondere as amizades envolvidas no ato e também a personalidade de seu(sua) parceiro(a) e veja se ele(a) é capaz de ter algumas atitudes por auto-afirmação.

Sem justificativa: se o ato ocorreu simplesmente porque seu(sua) parceiro(a) permitiu, algo de errado está ocorrendo no seu relacionamento e deve ser revisto.
Com todas as respostas em mãos chegou à hora da decisão.

Você deverá se perguntar se será capaz de olhar para seu(sua) parceiro(a) da mesma maneira. Lidar com um(a) parceiro(a) que não te deseja em primeiro lugar, ou que não se importa em te ferir é absurdo.
Saia desse relacionamento se esse for o caso.
Mas ao terminar lembre-se:
Não termine para voltar correndo com ele(a) porque com isso você terá muito mais estresse.

Por isso pense muito, e ao terminar faça-o com certeza.
Não converse com ele(a) logo após o término.

Permita-te um tempo distante, que podem ser meses, pensando e refletindo sobre sua vida. Você não tem obrigação de se preocupar com ele(a) uma vez que você terminou e se quiser não precisará entrar em contato nunca mais.
Saiba que agindo assim, fará seu(sua) parceiro(a) refletir sobre seus atos e sobre seu significado na vida dele(a).

Se ele(a) se aproximar de você pedindo desculpas e querendo voltar será muito mais honesto(a) dessa vez, por saber como foi dolorido ficar sem você.

Um comentário:

Walquíria e Bruno disse...

Oi, Anis!
Estive 5 meses sem conexão. Isso é uma eternidade! A briga com a Telefônica para ter um Speedy decente até hoje não se resolveu. Mas graças a DEUS, uma internet a rádio foi enviada para minha cidade e aqui estou para dizer que você é muito importante para mim.
Quero te agradecer pelos comentários lá no meu cantinho enquanto estive fora.
Reitero meu carinho por você!
Bjinhos de paz,
Saudades!
Pr@ Wal
http://pspprajesus.zip.net