sábado, 19 de abril de 2008

Vaidade

Tal qual a serpente, a vaidade aproxima-se da vítima sem que esta perceba o perigo a que está exposta e desfecha o bote. O veneno atinge o sangue da vítima, assim como o bote da vaidade alcança a alma, envenenando-a de tal modo que a vítima não se apercebe mais do mal que está sofrendo porque viciou-se com ele. Não são, assim, somente as serpentes reais, materiais, que desfiguram, mas os vícios e os defeitos, que igualmente ocasionam às vítimas males que somente com fé em Deus, com preces firmes, calcadas no amor de Jesus, poderão ser combatidos.

2 comentários:

Ina disse...

Anis,
Agradecendo a sua visita e passando aqui pra conhecer o seu cantinho, que é maravilhoso !
Parabéns !
Beijosss,
Inael

Inael Viana disse...

Anis,
Agradecendo a sua visita e passando aqui pra conhecer o seu cantinho que é maravilhoso.
Parabéns !!!
Bjsss,
Inael